Peregrinação a Fátima, retiro Espiritual

Salve Maria! Irmãos em Jesus Cristo!

 

Sou muito feliz, por ter partilhado e vivido, quatro maravilhosos dias em retiro e peregrinação, juntamente com os 48 peregrinos,  a lugar encantados, tanto em Lisboa, como em Almada, seguindo depois para Fátima, onde ficamos, por três dias completos e no regresso, pode recordar o Santíssimo Milagre de Santarém. Hospedagem, em Cascais, C.a. Seminario Torre D Aguilha

 

 

 

 

Ao chegar a Lisboa, no avião SATA 460, as 11h45m,

 

 

fomos acolhidos por dois arautos o Sr. Marcelo Gomes e Sr. Paulo Silva.  Que nos encaminharam ao autocarro para 52 pessoas. Foi muito interessante, que duas senhoras inglesas, entraram e juntaram-se a nós por engano.

Foi deveras engraçado, quando os contei-los pela primeira vez, contei 51 pessoas, me aproximei das duas senhoras e perguntei de que grupos eram, quando vimos que estavam perdidas, o condutor o Sr. Santos reencaminhou para o seu autocarro.

Foi giro, porque parecia,  que eram as mesmas estrangeiras, que no avião perguntou se queríamos que tirasse-nos a foto.

Seguindo esse episódio, seguimos para o Santuário do Cristo Rei,  foi uma manha sossegada e em paz.

Ao chegar, almoçamos no Santuário. Aproveito, para agradecer a gentileza e amizade, das irmãs e senhoras voluntárias, que trabalham, no Santuário. Gostei imenso, do almoço e sua disponibilidade.

 

 

Após ao almoço, subimos ao Cristo Rei, apreciei a beleza das duas lindas capelas.

A primeira é logo a entrada, e a outra fica, logo ao terminar de subir primeiras passadas, logo ao sair do elevador. É a capela de Jesus de Misericórdia. Os quadros tão encantadores, todos pintados, por um artista de mais de 82 anos.

Aos pés do Cristo Rei, a paisagem de todos os lados é extraordinária. A paz e serenidade, do Santuário, transbordava de sentimentos de gratidão e súplica, como nós tínhamos merecido tanto?

Depois seguimos para a visita a casa das irmãs Clarissas em Lisboa, na Estrela, ao quarto onde hospedou por onze a treze dias, em Janeiro e Fevereiro de 1920 a Jacinta Marto. Segundo o relato do manuscrito da segunda memória de Lúcia, quando relata as suas vivencias espirituais, as aparições do anjo, das suas renuncias e oferecimentos de sacrifícios pela conversão dos pecadores, as conversas entre si e a sua pequena prima Jacinta, bem quanto não sofreu aquela pobre criança. Sozinha, numa grande cidade, sem sua mãe e sua querida prima.

É de facto uma boa memória e referencia, de uma alma carinhosa, de exemplo de entrega e de amor. Oh, Jesus, que criança amável, que exemplo memorável. Dai-nos, coragem, para com estes pequenos servos de Amor, possamos também, nós aprender e seguir o vosso ensinamento, "Amai-vos uns aos outros, como Eu vos amei"

A terceira visita, foi a igreja de Santo António, e ao seu tumulo, onde está algumas relíquias suas. Isto porque o santo, dizem-no Santo António de Pádua, e nós portugueses, dizemos Santo António de Lisboa.

Padroeiro:

Portugal, Lisboa, Pádua, pobres, mulheres grávidas, casais, pessoas que desejam encontrar objectos perdidos, oprimidos, entre outros

Que diga eu que por bênção divina, foi chamada, para a última eco grafia, a 13/06/2008(Dia de Santo António) antecipada uma semana, e já encaminharam-me para o hospital. Posso afirmar e agradecer aos meus santos protectores a minha querida filha, Maria Teresa.

Logo em cima,  fomos visitar mais uma vez, a sede de Lisboa, onde Santo António tinha sido acolito. Estava a decorrer um ensaio do órgão, que maravilha, a música orquestral, a nos recordar o encanto de Deus. Neste ano, não pude aproveitar, tão rica exposição no andar superior, pois a visita tinha de ser breve, mas ainda deu, para apreciar, nas paredes da catedral uma exposição de quadros da igreja ortodoxa, das imagens de Nossa Senhora, a Sagrada Face, etc…

Enfim, estas visitas ao quarto onde esteve Jacinta em Lisboa, antes de ser internada na D. Estefânia, e a casa onde nasceu Santo António, agora igreja de Santo António, todos estes viver de criança/homem simples de Deus, que com suas experiencias e vivencias de vida, ensinam a seguir o caminho, para a casa de Deus, para nos tornar santos. Para seguir a Jesus Cristo, Nosso Senhor, a obter a glória eterna.

 

 

 

 

Seguimos viagem, para Fátima, chegamos, pelas 17 horas.

 

Levamos as malas ao quarto, e ainda tive a felicidade de cumprimentar o meu amigo, Arauto João Gabriel, mas apenas por breves momentos. A riqueza de aprendizagem, de seus conhecimentos, apenas guardo na memória, assim como outrora também gozava da companhia, do agora Sr. Pe. Maurício Sucena, foram estas almas que acolheram e ensinaram a verdadeira devoção a Virgem Maria. Que bom seria que todo o cristão pudesse receber a graça, de um bom catequista, um bom sacerdote.

Não poderam ficar mais tempo, entre nós, porque tinham de regressar a Lisboa, uma vez que teriam de voltar cedo. Teriam de voltar novamente ao Aeroporto, para acompanhar um outro casal da América.

Tivemos no Santuário, rezamos, colocamos as nossas velas e preparamos para que a noite nós pudéssemos participar e rezar o Santo Terço.

Jantamos a hora marcada, e logo após voltamos ao Santuário, foi maravilhoso estar ali. Foi tão difícil, mas tão recompensador. Participamos do Santo terço e procissão das velas.

 

 

Deus é misericórdia, amor e perdão. Mas também é alegria, paz e reconciliação. A mãe de Deus nos acolhe fraternal, aconselha, e nos guarda, na Esperança do Amor.

Dividi-me ou completei-me entre retiro e o santuário. Tive uma excelente companhia, a mãe, a Fátima e o Fernando.

Quando um dizia cansado, outro animava a continuar. E lá reuníamos para rezar, contemplar, maravilhar, na presença da Mãe de Deus e nossa Mãe.

No Sábado, a manha era livre, …

 e lá encantei com as vias-sacras, nas colunatas, depois com toda a basílica do Rosário. Depois mostramos a basílica da Santíssima Trindade ao casal, à Rosária e ao João, as capelas internas como a da Sra. Fátima, do Santíssimo Sacramento, da Reconciliação.

Tudo é belo!

De seguida, fomos descarregar o cartão de memória da máquina, para tirar mais fotos.

Almoçamos e descansamos um pouco e pela tarde começamos um lindo e forte retiro espiritual, cheio de temor (Amor magnifico de Deus e da Santíssima Virgem).

Vivemos a experiencia, dos novíssimos do homem.

         – Morte, Juízo, Céu e Inferno
Desde sábado de tarde a Domingo a tarde, um dia e meio de retiro.

Foi uma riqueza sem fim, de crescimento espiritual e graças abundantes, abríamos com a adoração ao Santíssimo, reflexão e círculos de orações. Cada qual, com um pouco perplexo, pela profundidade do assunto, mas ciente da necessidade de preparação pessoal, para o encontro com o Amor, que é Jesus Cristo, após a morte e chegada a hora do Juízo final, a sentença da Divina Justiça.

Certo, que não poderei falhar no caminho e na responsabilidade, de todos os que estão ao meu alcance, para orar, para apoiar e ajudar a permanecer fiel, Naquele que encarnou na Santíssima Virgem, se tornou um mortal, para sentir e viver como um ser mortal, por Amor a mim, por ti e por todos.

Mas Ele sendo Deus, venceu a morte e o pecado, mostrou-nos o caminho, deixou-nos a Sua Palavra e o Seu ensinamento, para encontrar o caminho da Salvação Eterna, o Céu.

Mas advertiu por diversas parábolas e escritos, também por muitas formas, que caminho e vida, que não deveríamos ter e seguir.

A preguiça, a tibieza na oração, a frieza de coração, o orgulho, a leviandade, a maldade, a intriga, entre outros, frutos do pecado.

Encantei-me pelos exemplos e histórias dos Santos, de como uma santa, teria se queimado, e chorando sua dor, um homem, que passa e ri-se de seu lamento, e entre risos, chama pelo seu nome, e lhe diz: “é assim que trato os meus amigos”.

O exemplo é simples. Ninguém afirma que o caminho é fácil, pelo contrário é estreito e por vezes dolorosos, mas a alegria após cada obstáculo, é incalculável. Já aqui na terra, vivemos e sentimos as graças divinas, então imaginemos que glória terá os seus santos eternamente no céu.

Vale a pena, sofrer só para nos alegrar com o “Esposo”.

Celebramos a Santa Eucaristia, jantamos e seguimos a noite, para recitação do terço e procissão a Nossa Senhora do Rosário de Fátima.

No Domingo, corremos pela aurora, para celebrar a eucaristia da manha, pensávamos que seriam pelas sete, mas ao chegar, já estava a meio, a missa da capelinha, penso que em Polaco ou outra língua de leste.

Subimos então para a Basilica do Rosário, pelo que começou pelas 07h30m foi maravilhoso, pois tínhamos livros e podíamos acompanhar o salmista.

Foi lindo, começar o dia sentindo-se em casa.

Ao terminar, corremos para o hotel, tomar pequeno-almoço e o retiro duraria o dia todo.

Foi magnífico, tivemos mais três reflexões, três círculos de oração e no último convidaram-me a ser orientadora.

Foi lindo! Eu tinha medo e porque era o meu primeiro retiro (apenas participara, quando acompanhava a mãe no de catequistas, mas eram só de uma manhã e missa, ou na breve experiencia de catequista).

Aqui, neste retiro, já tinha bebido bem da fonte, pois os três últimos círculos de oração tinha feito muitas perguntas, mas agora seriam eles a me perguntaram.

Acabei por aceitar, mas como ajudante. Estava com duas outras coordenadoras, mas a vontade de saber o que lhe ia na alma, não parei de perguntar e falar um só instante. Foi magnífico! As senhoras, que ali me conheceram ao terminar, pediram para me beijar e levar em sua recordação do retiro, eu fiquei perplexa, pois apenas tinha sido a simples e a vivida da minha vida, não sei se foi do meu sorriso, do meu coração aberto e sincero, mas gostei! Eu sou o que Deus me faz, triste pelas circunstâncias da vida, mas alegre com Deus no meu coração.

Ao subir para a santa missa, fomos convidados a fazer a consagração e imposição a Nossa Senhora do Carmo,

a mãe disse que eu já tive o Bentinho, mas como não sei, como os perdi, como aconteceu, fiz o propósito, que nascera e baptizara para Jesus Cristo neste retiro espiritual, e que seria entronizada agora para a Senhora do Carmo, foi muito belo, sentir que além da Senhora do Rosário, do Imaculado Coração de Maria, também teria ali a nossa padroeira, Nossa Senhora do Carmo, o que mais eu poderia pedir, tinhamos a Santíssima Trindade, na adoração eucarística e a Virgem Santíssima em todos os seus títulos.

Sou feliz, porque amo o Amor, e todos os que lhe são queridos!

A santa missa foi o término de todas estas magnificas experiências, Deus é Amor, nós todos temos a sua misericórdia de nossos pecados, no sacramento da confissão, e no sacrifício da Santa Missa. Na oração do Santo Terço, na Confiança sem limites, em Deus, e na sua Palavra, a Sagrada Escritura. Foi encantador  o grupo dos Arautos a cantar, bem aquilo é que se diz um coro. Todos os instrumentos, a sinfonia, as vozes, parecia mais a recordação da visão do Santo, de mais mil notas musicais e mais de mil instrumentos, cada qual em harmonia e doce melodia.

Terminando, o encontro e missa, depois da fotografia do grupo, corremos, para a Basílica da Santíssima Trindade, como era a Terceira missa, a primeira inteira, foi na Basílica do Rosário, as 07h30m, como se da nossa se tratasse, com os mesmos cânticos e louvores, bem é tanta coisa, que tenho medo de perder um único detalhe ou maravilha.

A segunda, foi no encerramento do retiro.

E a terceira, Santa Missa foi na basílica grande, então a ofereci, por intenções do Michael, que afastou-se novamente, da santa missa.

Foi extraordinário estava repleta de fieis, era celebração dos 700 anos dos Franciscanos e pelo aniversario da diocese de Faro-Algarve.

No final da noite e após o jantar, voltamos novamente ao Santuário para a Recitação do terço e procissão a Nossa Senhora de Fátima, bem hoje, após as três noites e acompanhamento à Senhora, mas mais sensível, por ter de voltar, e porque Ela nos visita a 12/10/2009, e já imaginava a sua recepção de tantos que gostam muito e não puderam vir, chorei ao despedir à noite, e da procissão.

Pelas 05h30m de segunda-feira acordamos, eu a minha mãe, o meu cunhado e a Fátima, minha irmã, fomos a correr para o Santuário de Fátima, assistir e participar, no que podíamos na missa vespertina (06h30m), o mesmo grupo e sacerdote do dia anterior, na capelinha. Eram um grupo de Cristãos, que me sensibilizou muito, pois tinham muitas crianças e jovens deficientes mentais e motores. Estar em Fátima, e poder orar, com pessoas que manifestavam, profundo agradecimento, e louvor a Nossa Senhora em suas línguas é magnífico.

Maravilhosa experiencia, embora com medo, pensando que não estava preparada.

Eu me sentia profundamente ingrata, pois tudo tenho e não sei reconhecer e agradecer o bastante. Senti uma necessidade urgente de pedir pelos mais necessitados, por cruzes bem maiores que a minha, como famílias com crianças deficientes, com sacrifícios vivos.

Ao chegar ao hotel, depois de guardarmos as malas no piso inferior, e tomar o pequeno-almoço, saímos ver as casas dos pastorinhos e a loca do cabeço, bem era tanto as multidões de gentes, que não havia lugar para recolhimento e oração e mais uma provação, mais um ano sem a minha rica via-sacra.

A tristeza subia do mais íntimo de minha alma até aos meus olhos. Se por um lado, fiquei feliz, por ver tantos grupos a preferir Fátima, invés de caminhos do mal, por outro lado, ficara sem a minha indulgência.

A minha amiga, que me conhece bem, tentou me confortar, e eu lhe respondi, que melhor eu podia querer, penitenciei muito, que melhor que uma via-sacra ao vivo.

A tentação perseguia, mas a Confiança em Deus, era maior, e este retiro espiritual, foi preparação para a longa batalha no caminho de Deus.

Os pontos fundamentais: A Santa Missa, a Sagrada Escritura, viver a Palavra, muita oração, e Confiança em Deus e na Santíssima Virgem, nas suas orações e no Santo Terço! As ferramentas da Salvação!

Após o almoço, seguimos para Santarém, mas ainda em Fátima, aquilo, que era graça divina, um sol e tempo de Verão, terminara, o dia começava como a minha tristeza de partir. E ao passar pelo Santuário, já tinha muito vento e sinal de chuva.

Chegamos a Santarém e chovia um pouco…

O Santíssimo milagre da Eucaristia, é tão pouco conhecido, em Portugal.

Que pena, se soubessem quanto valor, tem Jesus na Eucaristia, deixariam de pecar, só para o gozar de sua glória. Foi bem melhor, passar ali, com a confissão já feita, a minha alma cheia de graça, e de louvor ao Senhor,

Na comunhão, lá cantei mesmo sem letra ou música “Eu sou o pão vivo descido do céu”…e  acompanharam-me no que puderam.

Após a comunhão, novamente, a minha alma transbordava de gratidão, e cantei: “Obrigado, Sim, Obrigado Sim…”

Que mais poderia pedir, alem de Santa Missa, acto penitencial em Fátima, consagração e entronização a minha padroeira Nossa Senhora do Carmo, o Santíssimo Milagre Eucarístico, a visita ao Santuário de Cristo Rei, a recitação do terço, procissão a Nossa Senhora e adoração ao Santíssimo, no retiro, tudo eu fiz e maravilhei.

 

Já no Seminário algumas pessoas, portaram-se mal. Nós apenas tentávamos proteger o sono de quem podiam dormir um pouco mais, mas fomos mal interpretados.

Novamente uma nova experiencia. Eu já não tinha mais força.

Quando entro no nosso quarto fico feliz, pois ali encontro uma bíblia, pensei, com tanta situação, só na Tua Palavra encontrarei o sossego e paz que preciso, não tinha ninguém para conversar, a mãe não entendia, e não me deixou contar ao Michael, apenas combinamos a chegada, já liguei-lhe, passava da meia-noite e vinte minutos…

Então logo após colocar todos os nºs de quarto na lista de embarque, e combinado com a mãe íamos as duas para a porta do elevador, para que ninguém ficasse preso, peguei na bíblia, e a abri a sorte, a espera que o Senhor me falasse.

A resposta essa foi providencial. Foi um Salmo: Deus é fiel ao exilado.

Foi bálsamo, foi louvor, foi graça, foi deixar sair a dor e revestir-me do Senhor, em quem pôs toda a minha confiança. Foi uma vigília, que nunca tinha sentido, nem passado, foi pensar no Senhor, no Jethsamini, no Jardim do Horto das Oliveiras, foi sentir que não é nada em comparação que Jesus e Maria, vivem e sente, por tantas ofensas contra eles praticados segundo a segundo.

Foi magnifica a experiencia, devo ter rezado mais de dez salmos.

Um estou certo, que foi o anterior a este, para reflectir, e os outros foram seguidos. Não conseguia parar.

Recusei ver horas, porque a Deus tudo pertence, as horas; os minutos; os segundos.

Depois pensei, tenho a responsabilidade de levar, 26 pessoas comigo no avião, e mais quatro no autocarro, até ao aeroporto, preciso de descansar. Os arautos, não podiam acompanhar-me, e acompanhar-nos, porque o Autocarro estava alugado, até a chegada do aeroporto, depois o segundo grupo, voltava a ser acompanhado, por outro autocarro, neste último caso foi carro dos Arautos. Então na Graça de Deus, tornei me a responsável do grupo, pedido pelo Arauto Manuel.

E lá dormi, os sonhos dos anjos. Apenas devo ter descansado duas horas, pois tinha colocado despertador para as quatro e meia, mas acordei as quatro.

Entreguei-me a vontade do Senhor.

 

Na terça, tudo correu bem.

Caminhemos na Confiança de Deus, na sua Palavra Viva, na Sagrada Escritura, e nos irmãos, nas provações diárias, e nem sempre fáceis do dia a dia.

Na certeza, que juntando os nossos pequenos sacrifícios diários a Sagrada Eucaristia, ao sacrifício de Jesus Cristo, fruto de Amor, viveremos Confiantes em Deus e em Maria, que apenas nos indica o caminho de seu Amado Filho, JESUS CRISTO! Nosso Salvador!

Segunda-feira, se Deus Quiser, juntar-me-ei a multidão de fieis, no largo do Colégio, para acolher a Virgem Maria, imagem peregrina da Nossa Senhora de Fátima, a mulher da Esperança e acolher a sua mensagem da paz! Que nos dará a honra de nos visitar por sete meses, até 13/05/2010.

Que bela coincidência, dia em que o nosso pastor supremo, O Papa Bento XVI, vem presidir as celebrações do 13 de Maio, em Fátima, primeira visita oficial, ao nosso país e ao Santuário querido.

 

Em Jesus e Maria,

 

Maria Clarisse Freitas

About these ads

Sobre Maria Clarisse Freitas

Amo a Vida e Toda a Criatura. Adoro ver o nascer e o Pôr do Sol, gosto muito da chuva cair, quando estou na cama quentinha, uma noite estrelada. Adoro a melodia feliz do Coração, de toda a sua essência de Amor e Paz. Sou feliz, porque Tu estás comigo! Todos São Teu Rosto oh Senhor, Jesus Cristo! Gosto de cantar, de louvar e bendizer a Deus, Jesus e Maria. Levo a Virgem Maria(oratório do Imaculado Coração de Maria), a todos os povos, nas celebrações eucarísticas e procissões. Também convido-os, a todos a abrir as suas portas de casa, para receber Maria, nossa Mãe, recebendo-A por um dia em sua casa.
Esta entrada foi publicada em Peregrinação. ligação permanente.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s